COMO GANHAR CLIENTES PELAS REDES SOCIAIS

October 8, 2019

A diferença entre investir em Redes Sociais para ganhar Clientes e Seguidores é um objetivo que deve ser definido, uma vez, que as estratégias diferem bastante. Clientes querem qualidade a aliada a custo e benefício, ou seja, serão eles que irão avaliar o custo de desembolsar para ter.

 

 

 

Os seguidores são consumidores de conteúdo digital, não necessariamente são clientes da marca. Uma gera lucro e outro gera visibilidade, são importantes, mas combinados.

 

Instagram é uma Rede Social onde prioritariamente é trabalhado o conteúdo através de fotos e vídeos. Atualmente o IGTV se tornou uma ferramenta viral para atingir públicos que queiram dinamismo e informação. As fotos já foram o maior poder que uma empresa poderia usar, hoje, os vídeos são conteúdo mais poderoso. Como vender um produto na loja, para um usuário da rede? Como gerar taxa de conversão?

 

Pessoas compram porque encontram suas soluções naquele produto. Então como você pode conseguir transmitir essa solução? Alguns produtos tem a função de serem auxiliares também outros de serem decorativos ou mesmo convenientes. Nisso consiste a venda do seu produto usando o Instagram. A rede possui a ferramenta SHOP, você transforma sua rede é um E-commerce.

 

E o conteúdo? Listamos 5 passos simples para convertê-los em clientes.

 

1. Não venda conteúdo, venda benefícios

 

É bonitinho o urso Panda perseguindo a tratadora? Sim, mas não vende. Ninguém vai adotar o urso Panda a não ser que tenha fundos e investimentos para isso. E normalmente o vídeo engraçado dele não vai 'sugerir' a adoção. Porque não temos uma lista de benefícios, estamos nos divertindo. Com certeza é uma diversão, mas não uma proposta. Então comece falando porque o Urso Panda deveria ser adotado e o que a pessoa vai ganhar com isso.

 

 

2. Diga qual é a recompensa

 

Somos sujeitos a pensar que queremos agir sem condicionalidade. Pode parecer um discurso interessante, mas não vende. As pessoas quando compram uma viagem para Europa, sabe que o investimento é caro. Mas qual é a recompensa que ela sabe que vai receber? Descanso, conhecer cultura nova, aprender novidades, comprar lembranças, ostentar foto nas Redes. E ela sabe disso por quê? Os amigos fizeram isso, ela viu isso em outros lugares, as fotos turísticas são uma propaganda poderosa.

 

Então ela precisa saber a recompensa para poder investir.

 

3. Conteúdos tem quer contexto

 

Contexto foge muito a regra quando vemos muitos anúncios. É certo que a publicidade trabalha com um público específico e constrói a mensagem através de dados do perfil, idade, renda, residência e hábitos. Mas o contexto que não sugere uma proposta, não sugere uma compra. Envolver o público tem sido a ferramenta mais poderosa que investir milhões em anúncios para veicular por canais mundo a fora.

 

Ás vezes é mais fácil mostrar na linguagem denotativa (real) do que gastar na conotativa (Fantasiosa\ficção) e diretamente.

 

4. Conteúdo corporativo

 

Pouco se vê o conteúdo sobre a empresa, sobre a equipe, missões e valores. É normal vermos um discurso superficial. O que vemos são fotos avulsas de experiências, clientes satisfeitos. É muito bom. O envolvimento da marca com o cliente é o segredo do sucesso. Visibilidade talvez. A ideia do ego do cliente na frente super valorizada mas as pessoas quando veem que são perfeitas para marca, elas compram mais produtos ao longo prazo? Ou ostentam a valorização para os amigos?

 

Quando a marca percebe, ela começa a dar 'presentes' para o cliente valorizado. Na prática ele ganhou um porta voz, mas perde um cliente potencial.

 

Se elas veem a marca dando valor para o que ela é, não seria mais apropriado para que ela desse valor para marca? Comprando os produtos por se sentir recompensado por estas histórias. Faça a combinação: Valorize a empresa e o público. O resultado é surpreendente.

 

5. Conteúdos bacanas funciona, mas cuidado

 

Ser Cool, mostrar o vídeo engraçado. Colocar memes. É uma estratégia que garante boas risadas, descontração. O verdadeiro Happy Hour para o cliente. Mas mimos demais criam acomodação. O que é Cool gratuito? Happy Hour sem um desembolsar? Cada conteúdo na Rede Social é um custo por hora. É verdadeiro que a cortesia gera fidelidade, mas não cortesia eterna e 24 horas. Isso gera divisão do cliente e do fã digital.

 

Um compra e outro não. Porque as pessoas procuram por algo para relaxar, todos tem dias estressantes. Então a marca faz isso de graça?

 

Análise

 

O conteúdo precisa encontrar um equilíbrio. Não pode forçar a barra e nem deixar amolecer. Imagine que o POST na Rede Social é um vendedor. Se ele parar de vender para jogar conversa fora com o cliente, você vai perder a venda, o cliente e a oportunidade. A conversa é válida, já tive conversas interessantes, mas já percebi também quando o vendedor perdeu a venda.

 

É o máximo que exista essa interação, mas ela precisa estar focada em 'VENDER e CRIAR INTERAÇÃO'.

 

As Redes Sociais são muitas vezes vistas como um CANAL auxiliar, mas eles são potenciais e hoje dominam as praças mais do que uma conversa nos corredores das lojas. E ir na loja física munido de um celular aberto nos concorrentes é um hábito comum. Impeça que o seu cliente vire as costas. Não seja obsessivo e nem afastado. Faça o conteúdo, divertido, mais direcionado.

 

Quem somos nós


A Junqueira Consultoria é uma empresa do ramo de assessoria e consultoria de Marketing, Publicidade e Design com especialidades em Marketing de Relacionamento, Digital e Mkt Jurídico.

Entre em contato por contato@junqueiraconsultoria.net.br | www.junqueiraconsultoria.net.br

 

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

© 2015-2020 Todos os direitos reservados a Junqueira Consultoria - Desenvolvedor: Rafael Junqueira

R. Sete de Setembro, 43 - 3º Andar - Centro, Rio de Janeiro - RJ, 20050-003

Onde estamos

  • LinkedIn - Black Circle
  • Facebook - Black Circle
  • Twitter - Black Circle
  • Google+ - Black Circle
  • Instagram - Black Circle
  • YouTube - Black Circle

Redes Sociais